quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

10 Filmes Sobre: Preconceito

Costumamos falar de preconceito como se fosse algo alheio, distante, longe da nossa realidade cotidiana e dos nossos valores aparentemente tão bem estabelecidos, pois, como diria Sartre: "O inferno são os outros."

Escolhemos doze filmes (sim, doze! Não nos aguentamos na triagem!), de vários gêneros, que farão você questionar a sua maneira de ver e lidar com as diferenças. 


O Nascimento de uma Nação 
(1915)

Numa tentativa de retratar a Guerra de Secessão Americana e suas consequências, o filme mudo do diretor W. Griffith trouxe, na verdade, muita confusão. A história enaltece a organização Klu Klux Klan e retrata os negros (que, aliás, eram interpretados por atores brancos PINTADOS de preto) como selvagens brutos e covardes. 

Durante muito tempo, O Nascimento de uma Nação serviu como inspiração para grupos racistas norte-americanos.




Planeta 51
(2009)

Lem tem 16 anos, estuda, trabalha num planetário e vive num subúrbio com seus pais. Lem tem pele verde e antenas protuberantes, como todos de seu planeta. Um dia, uma nave espacial cai em sua cidade e o alienígena, assustado, toma sua casa como refúgio! Um “humano” agora está sob a proteção de Lem contra o impiedoso exército que quer, a todo custo, capturar o E.T.

Planeta 51 é uma adorável animação sobre como o medo do que nos é estranho e diferente pode ser superado com graça e bom humor.




Meninos Não Choram 
(1999)

Teena Brandon era uma jovem norte-americana que decidiu ser Brandon Teena, um jovem norte-americano. Com seu novo grupo de amigos, Brandon experimenta a agressividade, a contravenção e o amor por uma garota. Quando o azar bate na porta e a verdadeira identidade de Brandon vem à tona, seu mundo desmorona e gera um desfecho trágico.

Baseado, infelizmente, numa história real, Meninos Não Choram é um filme duro, realista, mas imperdível.




Legalmente Loira 
(2001)

Elle preenche muito bem o estereótipo de “patricinha”: loira, bonita, rica e fútil. Quando Elle resolve cursar uma tradicional faculdade de Direito e provar que é bem mais que um rostinho bonito (e uma loira natural!), percebe que vai ter que usar toda sua simpatia cor-de-rosa para vencer muito preconceito e muita hipocrisia.




Adivinhe Quem Vem Para o Jantar?
 (1967)

Engraçadíssimo e, ao mesmo tempo, muito incômodo, o filme conta como os pais da bela e rica Joey reagem quando descobrem que sua filha está noiva de um homem negro. Por mais que tentem encontrar qualquer coisa que desabone o rapaz, os pais sempre acabam frustrados e a filha ainda mais apaixonada. Salva de palmas para a atuação do grande Sidney Poitier que, aliás, foi o primeiro ator negro a ganhar o Oscar.

O filme rendeu uma outra versão mais recente e mais light, mas com o conceito invertido: A Família da Noiva (2005) traz uma família negra que não aceita o noivo branco, no caso, interpretado por Ashton Kutcher.




Billy Elliot 
(2000)

Billy é um garotinho de 11 anos que mora com os pais numa cidadezinha pobre da Inglaterra. O pai, operário bruto, sonha em ver o filho tornar-se um boxeador, mas Billy descobre outra paixão: a dança.

Billy Elliot é um filme lindo, leve e engraçado, que aborda o preconceito cotidiano e sutil (ou nem tanto), que pode reprimir a espontaneidade e a alegria de nosso espírito livre.




O Homem Elefante 
(1980)

Filme interessante dirigido pelo grande David Lynch, traz a história de John Merrick, portador de um caso grave de neurofibromatose múltipla, que deixou seu corpo quase todo deformado. Exposto como uma aberração num circo da Inglaterra, onde era severamente destratado, Merrick é resgatado por um médico e tem a oportunidade de resgatar a sua dignidade e de desabrochar como a pessoa amável e inteligente que na verdade é. Mas as coisas não serão fáceis para Merrick, o “Homem Elefante”, pois sua aparência continuará sendo um obstáculo para a sua aceitação social.

Um triste clássico, mas que traz uma excelente reflexão sobre o tema em questão.




Filadélfia 
(1993)

Filadélfia faz o esquema "tudo junto e misturado", num filme inovador para a época por tratar de maneira “crua” um tema que era (e ainda é) um grande tabu em nossa sociedade.

Andrew é jovem e inteligente, homossexual. Trabalha numa tradicional firma de advocacia na Filadélfia e está claramente em ascensão. Mas Andrew é portador de HIV e quando a doença não pode mais ser disfarçada, a firma o descarta. Sem saída, depois de ser dispensado por vários outros profissionais, o jovem contrata, então, Miller, um advogado homofóbico.

Com atuações brilhantes de Tom Hanks e Denzel Washington, Filadélfia é um filme sobre preconceito, mas também sobre tolerância e redenção. Lindo, triste e, sem dúvida, mobilizador.




Distrito 9
(2009)

Mais um filme sobre alienígenas, mas bem mais sombrio que o anterior. Aqui, acompanhamos a história dos viajantes espaciais que ficam retidos na África do Sul, após a queda de sua nave, numa espécie de acampamento de refugiados que, após décadas de ocupação, se transforma num grande gueto – o Distrito 9. Incomodado, o governo contrata uma empresa para dar ordem de despejo e deslocar os “camarões” para o Distrito 10. Mas essa mudança não vai ser nada pacífica...

Violento, Distrito 9 é um filme sobre intolerância que serve como analogia para muitos dos nossos problemas sociais.




Milk – A Voz da Igualdade 
(2008)

Harvey Milk, interpretado aqui pelo fantástico Sean Penn, é um homem adorável, carismático, que leva uma vida pacata ao lado do namorado. Sua disposição para lutra contra o preconceito e a violência o levam, no entanto, a ocupar um cargo inusitado nos Estados Unidos de 1970: o de líder político, funcionário público e organizador de várias campanhas nacionais contra a discriminação sexual.

Apesar de suas grandes conquistas, Harvey Milk foi assassinado em 1978. O filme, sem dúvida, é uma bela homenagem.




Vênus Negra 
(2010)

História verídica de uma africana que foi levada para Londres em 1810 e era obrigada a se prostituir e realizar apresentações vergonhosas para plateias formadas pela nobreza inglesa. Um filme bastante difícil de engolir devido ao tratamento dado a jovem africana de apenas 25 anos, tratada como simples objeto, parece fazer parte de um circo de horrores. O filme nos mostra de forma clara que a crueldade do ser humano não tem limites.




Promessas de Um Novo Mundo 
(2001)


Este documentário foi realizado com 7 crianças, palestinas e israelenses, entre 9 e 13 anos de idade. É interessante perceber o olhar que cada uma possui da situação de seus países e mesmo morando muito próximas parecem habitar mundos completamente diferentes.




 E esta foi a primeira lista de 2014! Com certeza você já tem mil filmes sobre o tema pra indicar pra gente, certo? Então vamos lá... Não se acanhe!


Nenhum comentário:

Postar um comentário